a Linguagem da Alma

Os sonhos coexistem com a "realidade", saber dar atenção a eles é o que faz diferença em nossas vidas.
Gosto de sonhar. É através deste canal que converso melhor com minha alma.
​"O sonho não é somente uma fonte valiosa de informações, mas também um modo eficaz de educação e tratamento.", já nos dizia Jung.​



Roberto Gambini (2000), psicólogo e analista junguiano, propôs aos educadores (séries iniciais) a trabalhar com o relato de sonhos em sala de aula.
Fico imaginando a delícia regada a doidura feliz quando as crianças ouviram da sua professora, "o que você sonhou hoje?".

Um espaço de sonhos, um momento para trazer a alma para o mundo. 

Lembro-me que quando cheguei ao Grupo de Contação de Histórias na Igrejinha (UFSC) numa manhã animada de sábado. Só depois percebi que todos que participavam daquele momento deveria compartilhar uma história. E nada na minha cabeça passava...

Foi quando eu pensei, "vou contar um dos meus sonhos".
Ao terminar meu relato onírico, a coordenadora do grupo me direcionou seus olhos profundos, daqueles que enxergam nossas vísceras e sorriu. Contou-nos que os nativos da Nova Zelândia mantém uma linda tradição: A contação dos Sonhos. Em uma terminada Lua, eles se encontram para compartilhar seus sonhos...a linguagem da alma.

Tive a sorte de nascer (prefiro dizer escolher) numa família que prioriza os sonhos. A pergunta "o que você sonhou?", florescia nosso café da manhã. E tínhamos uma regra: respeitar e ouvir atentamente o sonho da outra.  Sonhos exigem boas escutadeiras.

E levei isso comigo...

Tem coisa mais instigante quando alguém nos diz, "sonhei com você."

"Pensei", "me lembrei de você"... nos deixa feliz...
Mas quando alguém diz, "sonhei com você", sempre nos provoca uma sutil sensual narcisista curiosidade.
Podemos controlar (tentar ao menos) o ​que pensamos, mas não o que sonhamos.


Nos sonhos, a alma é livre para procurar o que lhe faz feliz.

"Somos feitos da mesma substância dos sonhos"
                                             Shakespeare





beijos oníricos